terça-feira, 7 de novembro de 2017

OS PADRES E CATÓLICOS FARISEUS APEGADOS ÀS CERIMÔNIAS

É fácil perceber um crescente interesse de católicos e o apego de alguns padres pela Liturgia, os ritos da Missa, o que é bom, aparentemente.
O problema é vermos os ritos, normas, virarem mandamentos, como pecados mortais.

Um pároco, recentemente, proibiu outro padre de fazer missas "carismáticas" em nossa Capela, dizendo que a Missa não deve ser um show. O problema é que o povo estava gostando do estilo do padre "carismático". As Missas estavam ficando mais cheias no dia do padre convidado do que no dia do padre responsável pela Paróquia.
O referido Padre proibiu músicas  muito animadas, "abraço da paz é só apertar a mão de quem está do seu lado direito e esquerdo", ele disse.
Fiquei pensando aonde nossa Igreja quer chegar quando um Pároco praticamente persegue um padre convidado por ciúmes? Pelo o menos é o que ficou parecendo.
Fiquei pensando mais: ainda que o abraço da paz tenha sido normatizado por Roma, Papa Bento, etc. ( na verdade, ainda não li o documento que fala disso) isso significa que nossas igrejas precisam aderir sem questionar?
As Igrejas locais não deveriam ter um mínimo de liberdade para fazer sua Liturgia  respeitando as carcerísticas de seu povo?
O povo brasileiro é alegria, calor humano, gosta de abraçar, não só apertar a mão, gosta de beijar, expressar afeto, carinho... bem diferente do povo europeu ou de alguns outros países. 
A Missa deve ser então uma festa triste, sem calor?
Outro dia, me disseram que um Catequista estava ensinando que não podíamos sair contentes da Missa, porque a Missa era um sacrifício...   De onde ele tirou isso é que não sei.

Como pode alguém gostar de ir a uma Missa para ficar triste?
A Missa é um sacrifício, mas nossas vidas já são também. Queremos ir para a Missa para sarimos alegres e não com a cara de quem está no inverno da Europa.  O Sacrifício de Cristo deve ser adorado, mas sem perder a alegria, pois o Senhor ressuscitou!...  O Senhor nos salvou!.... O Senhor está no meio de nós!

Vejo crescer, no meio dos católicos, muitos conservadores apegados aos ritos da liturgia, mas não apegados à misericórdia.
Vejo crescer, no meio dos católicos, padres novos, mas com cabeça de quem vive antes do Concíclio Vaticano II: como se vestir uma batina fosse tudo ou colocar 6 velas num altar, porque o Papa Bento XVI mandou, fosse o auge da Liturgia! 
Que grande reforma litúrgica!

Penso na alegria de uma Missa africana: cantar e dançar levando as ofertas... cantar  e dançar com gestos como seu povo sempre fez, preservando sua tradição sem deixar de ser católico.

Acho que falta isso na Igreja Católica do Brasil: ser católico romano sem precisar deixar de ser brasileiro.

A Liturgia bem feita pode nos levar a rezar melhor, sem dúvida. Mas o apego apenas ao rito, sem levar em consideração o contexto, o povo, os gostos, o que pode trazer mais pessoas para Cristo, etc., também pode ser um engessamento da Igreja.



Image result for FARISEUS RITOS





O apego aos ritos, às vezes, pode é nos transformar em fariseus, que por fora parecem religiosos, mas por dentro são vazios.

Os católicos fariseus  ficam preocupados se o Salmo está sendo bem cantado, ao invés de meditarem sua letra.
Os católicos fariseus ficam incomodados se os outros não se ajoelharam diante do Santíssimo, ao invés de ele estar apenas ajoelhado adorando e pensando no Senhor.
Os católicos fariseus não rezam, fiscalizam os outros, não vivem a Missa, assistem os outros, não louvam a Deus com o coração, apenas com os lábios.

Independente de qualquer coisa, a Missa é o Sacrifício de Cristo e me esforço para assisti-la mesmo quando o padre é péssimo na celebração, mas criticá-lo e informá-lo que discordamos é fundamental. Quem sabe ele muda ou repensa seus valores e faz a Igreja mudar também. Queremos Missa, mas com alegria e com nossa identidade na Liturgia. Padres, escutem seus fiéis! Tolerem mais! Negociem mais! 



2 comentários:

  1. Caro senhor, dei ao acaso com ele blogue ao pesquisar o tema presépio e pensei que estava num ambiente católico. Mas nem tudo o que reluz é ouro. Por favor, não usurpe o nome da Santa Madre para enganar incautos e perder almas. Suas observações neste artigo são repugnantes além de heréticas. A justa ira e indignação dos apóstolos Pedro e Paulo estão sobre sua cabeça e não vai adiantar o senhor buscar socorro na deusa misericórdia. Lamento informá-lo que ela não que ela não passa de engodo para fazer cócegas à consciência daquele que sonha em fazer um simulacro de cristianismo a sua imagem e semelhança. Se sonhas um dia em ser católico, vá estudar primeiramente. A Revelação é a Bíblia, a Tradição e o Magistério e os três inexoravelmente tem de andar em comum acordo. Quanto ao senhor dizer que a missa de padre a tinha mais que padre b, donde raios quantidade importa? Aos pés da cruz quem restou? E quem batia palma e urrava destrambelhado enquanto o Senhor morria? O senhor quer assistir ao Sacrifício ao lado dos condenados ou dos salvos? Que heresia mais estapafurdia comparar os nossos míseros sacrifícios ao Sacrifício sempiterno, único capaz de aplacar a ira de Deus??? Ah, já ia esquecendo, este blogue não é católico...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro senhor Agripino,
      1 - este blog é católico, pois ser católico não significa fechar os olhos para os fatos

      2- Você não é o Papa para dar excomunhão em nome da "ira e indignação dos apóstolos Pedro e Paulo "

      3- Vá ler o Evangelho sobre a Misericórdia:

      Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes.
      Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu nào vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento.
      Mateus 9:12,13

      4- Aqui não se diz nada de diferente com relação à revelação. Sei muito bem que A Revelação é a Bíblia, a Tradição e o Magistério e os três inexoravelmente tem de andar em comum acordo.
      E o Concíclio Vaticano II que defendo propõe uma Igreja mais voltada para as necessidades do povo.

      5- DISCORDAR COM RELAÇÃO A LITURGIA NÃO É PECADO!
      Você confunde as coisas.
      Cada um tem seu jeito de celebrar o sacrifício de Cristo.

      O Rito romano não é o único ou você não fez sua lição de casa como "bom" católico que acha ser?

      Existem vários ritos além do latino. Entre eles, existe a alegria de uma Missa africana e aqui defendo o rito brasileiro, a "alegria" e não a séria aparente tristeza dos europeus, estilo beneditino.

      Discutir isso para o senhor pode ser um pecado, porque você e tão pegado aos ritos como os fariseus que citei.

      E são católicos como você que assustam.
      Católicos que se acham melhor que os outros, mais santos, que não sabem produzir um debate, discutir ideias diferentes, aceitar o pensamento diferente... que já vão dizendo "não quero ouvir, nem pensar sobre isso"... São fanáticos religiosos assim que sempre colocaram a Igreja numa situação contrária da que foi e é proposta por Cristo.

      Seja menos agressivo e mais reflexivo. Discorde de mim, mas não precisa querer condenar ninguém ao inferno.

      VOCÊ NÃO É DEUS!
      AH, JÁ IA ESQUECENDO:

      ESTE BLOG É CATÓLICO, MAS PARA OS "QUE PENSAM" E NÃO SÃO FANÁTICOS!

      Excluir